A relação entre o Brasil e a Argentina não será afetada pela crise política brasileira, segundo Marcos Peña, braço-direito do presidente argentino, Mauricio Macri. O chefe de gabinete da Presidência afirmou nesta quinta-feira (17) à imprensa local que “o diálogo [com o Brasil]é permanente, eles [o governo]sabem”.

Questionado sobre a posição do governo Macri em relação à nomeação de Lula como ministro da Casa Civil, o político disse que “não é correto” opinar sobre um processo jurídico, mas afirmou: “é preciso resolver institucionalmente, pois a tensão que há nos preocupa”.

Na noite de terça (15), Macri afirmou à imprensa que espera que o Brasil saia logo da crise.