Com quatro vitórias em quatro jogos, a Holanda evita subestimar a Costa Rica, pela primeira vez numa etapa de quartas de final

O futebol. Ah, o futebol… Mais uma vez o esporte demonstrou seu conceito mais amplo. Heróis em campo, lances de emoção nos minutos finais. Duas seleções que antes da Copa do Mundo eram separadas entre tradição e surpresa se igualaram no tempo normal. E também na prorrogação. O melhor ataque não ultrapassou a melhor defesa. Mas dos pênaltis não poderia passar. E, depois do 0 a 0 durante 120 minutos, sem contar os acréscimos, a Holanda venceu a Costa Rica por 4 a 3.  E agora vai enfrentar a Argentina na semifinal, quarta-feira, às 17h (de Brasília), na Arena Corinthians, em São Paulo.

A Costa Rica, que vencera Uruguai e Itália na fase classificatória, caiu de pé, sai do Mundial de cabeça erguida. O goleiro Navas foi um gigante. Tejeda salvou em cima da linha no último minuto do tempo normal. Foram heróis até mesmo na derrota. Mas, pouco antes das cobranças, Van Gaal colocou o goleiro Krul na vaga de Cillessen. E o goleiro holandês roubou a cena, saiu do banco para pegar dois pênaltis e escrever seu nome como protagonista de uma bela história.