A Galeria do Teatro Municipal de Ilhéus recebe de 01 a 13 de março, a partir das 9 horas, a 11ª exposição filatélica com o tema “Viagem pelo mundo dos selos”. São obras que retratam a arquitetura brasileira dos períodos Colonial, Barroco, Neoclássico e Moderno. Para mostra, os Correios trazem materiais informativos em selos nacionais e internacionais de temas como fauna, flora, religião, personalidades, além de pinturas, campeonatos mundiais de diversas modalidades esportivas, carros antigos, papas, fatos históricos dentre outros temas. A mostra reúne ainda coleções do Museu Filatélico de Brasília, Salvador, Ilhéus e Itabuna. A realização é dos Correios com o apoio da secretaria municipal da Cultura (Secult).

De acordo com idealizador e coordenador do evento, Paulo Rosário, a exposição tem a entrada franca e objetiva tornar mais visível principalmente aos jovens das redes pública e particular de ensino e futuros colecionadores. No mesmo local será exposta uma coleção de moedas antigas, datadas de 1600 anos, cunhadas desde o tempo do Império Constantino II até os dias atuais. “Os visitantes encontrarão coleções particulares que contam com mais de 2.000 selos, muitos raros. Os selos são para a maioria dos colecionadores peças de valor inestimável, pois mostram a cultura e a história de um país e seu povo”, explica Paulo Rosário,

Filateria – Formada etimologicamente das palavras gregas philos (amigo, amador) e atelês (franco, livre de qualquer encargo), a Filatelia é normalmente definida como o ato de colecionar selos, especialmente aqueles considerados raros. Mas, muito mais do que um hobby, a Filatelia é uma ciência e uma arte que apaixona pessoas de todo o mundo. Desde que o primeiro selo do mundo foi emitido, especialistas de diversos países vêm se dedicando ao tema. Cheio de pormenores, ele envolve história, economia e garimpo, já que é preciso conhecer o valor social e financeiro dos itens e suas peculiaridades, assim como as raridades que chegam a custar milhões de reais.