Carta foi assinada repudiando CDL e internautas questionam pesquisa realizada pelo entidade

Uma carta assinada por 21 músicos foi entregue nesta terça-feira (12), no comércio da cidade de Medeiros Neto, em repúdio ao fato da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) não ter contratado músicos locais para o Destaque Empresarial, que acontece no próximo sábado (16).

Encabeçada por Almiro Dutra Filho, do Trio Xodó, um dos mais respeitados compositor e músico de Medeiros Neto, a carta, que se dirige aos comerciantes, diz que “a CDL há anos insiste em ignorar a existência de profissionais da música medeirosnetense”.

Segundo a carta, “a indignação se dá pelo fato de que, justamente no maior evento social do município, que é o Destaque Empresarial, esse mesmo profissional que compra e ajuda a movimentar o comércio, é excluído, como se estes não devessem ser valorizados e não fossem dignos de abrilhantar tal evento”

Os músicos ainda provocam. “Na lista do Destaque Empresarial há de tudo, até Destaque Parceria, que é a loja Maria Maria Modas, de propriedade da presidente da CDL, mas não há a categoria Melhor Músico”.

A carta ainda conclama a CDL a fazer uma reflexão e observar o que os músicos chamam de “Lei do Retorno”. “Afinal, não se deve cobrar aquilo que não se oferece”, observa a carta. “Se essa instituição não valoriza a prata da casa, ela também não deverá ser prestigiada”, enfatiza.

As críticas à CDL não se resume apenas à carta de repúdio dos músicos. Circula nas redes sociais dezenas de postagens, onde pessoas manifestam indignações diversas, apoio aos músicos e questionam a veracidade da pesquisa.

O fotógrafo José Jorge Araújo Pereira, mais conhecido como Jorge Rex, foi o primeiro a questionar nas redes sociais, a desvalorização dos artistas locais. “Particularmente, sou a favor de que primeiro os de casa e, caso esses não deem conta do recado, da próxima vez não contrate”, postou. “Tem muita gente aqui em Medeiros Neto que prega a filosofia de que santo de casa não faz milagre, mas, fazer como se ninguém dá oportunidade?”, questionou.

O internauta Jânio Guimarães aproveitou a oportunidade para questionar os preços aplicados no comércio medeirosnetense. “Se querem fortalecer o comércio mesmo, baixem os preços, porque aqui tudo é caro”, disse.

Outros, no entanto, questionou a veracidade da pesquisa. “Na verdade, esse destaque é de faixada, só ganha quem paga, não é por mérito”, postou Tania Leles. “Ninguém nunca viu um passarinho sequer pesquisando nas ruas”, completou Adryele Fernandes em seu face.

Do Radar 58