Programa terá R$ 100 milhões por ano e a previsão é que ele comece a ser implementado até o final do primeiro semestre.

O prefeito ACM Neto apresentou, ontem, na mensagem do Executivo na abertura dos trabalhos da Câmara Municipal em 2015, o projeto habitacional que beneficiará cerca de 100 mil famílias. “Existe um problema real hoje na cidade de Salvador que é a dificuldade de encontrarmos terrenos capazes de abrigar etapas do programa Minha Casa, Minha Vida que reúnam milhares de ocupações num só local. Diante disso, criamos um novo programa habitacional com o objetivo de melhorar as condições de moradia nos bairros mais pobres”, declarou.

O orçamento anual destinado ao programa será de R$ 100 milhões e a previsão é que ele comece a ser implementado até o final do primeiro semestre. “A prefeitura vai intervir diretamente de diversas formas: melhorando a rede elétrica, refazendo a parte hidráulica, instalando um novo telhado, aplicando reboco, pintura, construindo um banheiro, dentre outras intervenções”, garantiu.

Para o prefeito, as prioridades da relação dos poderes Executivo e Legislativo em 2015 devem ser as votações do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) e da Lei de Ordenamento e Uso do Solo (Louos).

De acordo com o prefeito, os projetos tanto do PDDU quanto da Louos devem ser encaminhados à Casa até o início do segundo semestre. O prefeito ACM Neto ainda prometeu novos investimentos para este ano, como o lançamento de um programa de contenção de 50 encostas na cidade, além de um projeto de manutenção, limpeza e urbanização de canais.

Nas próximas semanas, também deve ser lançado o programa de intervenções simultâneas em 163 bairros da cidade, fruto do projeto Ouvindo Nosso Bairro (cujas reuniões terminam amanhã). Outro projeto para 2015 será a Central de Monitoramento do Trânsito, que vai incluir um sistema de semáforos inteligentes e controlados em tempo real, acompanhado por 300 câmeras na cidade.

Ontem, ainda tomaram posse cinco vereadores – Antônio Melo (PSB), Vânia Galvão (PT), Eliel de Souza (PV), Beca (PTN) e Sabá (PRB). Daqui a duas semanas, a atual presidente da Limpurb Kátia Alves (PSDB) também deve assumir outra das 42 cadeiras da Casa.

Ilhéus

Essa ideia deveria ser seguida pelo prefeito Jabes Ribeiro, dessa forma, famílias carentes que já possuem casas, porém, em péssimas condições, poderiam ser beneficiadas com projetos desse tipo, com a ajuda do estado e governo federal, tudo ficaria mais fácil. No Brasil os cofres públicos estão sempre no vermelho quando é para beneficiar o povo, só há dinheiro sobrando para a corrupção.

Ainda em Ilhéus, não saiu do papel um programa de contenção de encostas prometido pela prefeitura. A cidade de Ilhéus, devido às suas condições geológicas, geomorfológicas, pedológicas, climáticas e socioeconômicas, aliada a uma ocupação desordenada, apresenta-se com características capazes de condicionar deslizamentos de terra. Por sua vez, o poder executivo afirma que aguarda do governo federal a liberação de verbas que serão destinadas ao programa de contenção de encostas.