Cadastro visa incluir grupos como pescadores, extrativistas e ciganos em programas sociais do Governo Federal.

A Secretaria de Desenvolvimento Social de Ilhéus (SDS), empenhada em levar as políticas públicas de assistência às pessoas em situação de vulnerabilidade, realizou na última quarta-feira, dia 11, uma reunião no Bairro São Miguel com os pescadores artesanais. O objetivo do encontro, coordenado pelo titular da SDS, Jamil Ocké, foi orientar esse grupo para a inclusão no Cadastro Único (CadÚnico), instrumento que é o ponto de partida para benefícios sociais do Governo Federal.

No início de fevereiro, a equipe realizou cadastros de catadores de material reciclável. A partir de março, serão cadastradas famílias pertencentes às comunidades de terreiro e, em abril, será o momento dos agricultores familiares. Os atendimentos são realizados na sede da SDS, localizada na Rua Vereador Mário Alfredo, s/n, Conquista, e os interessados devem comparecer com os documentos originais de CPF, RG, Carteira de Trabalho, Título de Eleitor, comprovante de residência para maiores de 18 anos, e certidão de nascimento ou RG para crianças.

Cadastramento – O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), através da SDS, visa identificar 13 diferentes grupos familiares sendo eles: ciganos, extrativistas, pescadores artesanais, pertencentes às comunidades de terreiro, ribeirinhos, agricultores familiares, assentados da reforma agrária, beneficiários do Programa Nacional de Crédito Fundiário, acampados rurais, atingidos por empreendimentos de infraestrutura, presos do sistema carcerário, catadores de material reciclável e resgatados do trabalho análogo ao de escravo.

Por meio do CadÚnico, as famílias podem participar de programas como Bolsa Família, Pronatec, Tarifa Social de energia elétrica, carteira do idoso entre outros. Além destes, também podem ter acesso ao Programa Minha Casa Minha Vida, que dá oportunidade à compra da casa própria.