O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Adolfo Menezes (PSD), não descartou a possibilidade de concorrer a uma segunda reeleição para o comando da Casa, o que exigiria uma mudança na Constituição estadual. Entretanto, ao ser questionado sobre o tema, nesta terça-feira (12), ele brincou. “Posso disputar se tiver o apoio de 62 deputados”.

Em fevereiro deste ano, Adolfo foi reeleito com 61 dos 63 votos possíveis. Embora a votação tenha sido secreta, todos sabem que apenas os deputados Júnior Nascimento (União), adversário político em Campo Formoso, e Hilton Coelho (Psol), que disputou o mesmo cargo, não votaram no atual presidente.

Atualmente, a Constituição baiana impede a reeleição numa mesma legislatura, como seria o caso. Essa proibição foi imposta por emenda promulgada em 2017, quando o presidente da Assembleia era o atual senador Ângelo Coronel (PSD), o mesmo que lançou recentemente a ideia de Adolfo tentar se manter no posto, antecipando a disputa. Antes de Coronel, o ex-deputado estadual e ex-deputado federal Marcelo Nilo (Republicanos) chegou a ficar dez anos no comando da Casa.

Vale lembrar ainda que existe o entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) de que a reeleição numa mesma legislatura não é constitucional, a partir de um marco temporal que inviabilizaria a recondução de Adolfo Menezes. Entretanto, juristas e parlamentares acreditam que esse obstáculo pode também ser contornado pelas vias da política ou do próprio Judiciário.

O governo do Estado monitora a situação na Assembleia e as movimentações do PSD e do próprio Adolfo, que, caso decida de fato entrar na disputa, é visto como imbatível, em função do apoio que reúne na Casa. Na segunda-feira (18), os deputados da oposição irão se reunir com o prefeito da capital, Bruno Reis (União), para alinhar uma estratégia conjunta sobre a sucessão no Legislativo estadual.

“Essa será uma primeira reunião de amadurecimento sobre a sucessão na Assembleia, que foi antecipada. Queremos alinhar os deputados para que possamos ter uma posição conjunta sobre esse tema. E vamos ouvir o prefeito Bruno Reis, importante liderança do nosso grupo no Estado”, disse o líder da oposição, deputado Alan Sanches (União).

Ao menos dois nomes governistas estão nos bastidores tentando desestimular a ideia de uma segunda reeleição para Adolfo: Rosemberg Pinto (PT), líder do Executivo estadual na Assembleia, e Ivana Bastos (PSD). Ambos querem suceder o presidente. Outros também almejam o posto, só que adotando a estratégia contrária, gravitando na mesma órbita do chefe do Legislativo.