Por causa dos gastos feitos no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o líder do Solidariedade na Câmara dos Deputados, Aureo Ribeiro, declarou que pretende apresentar uma proposta de teto de gastos voltada para cartões corporativos da União.

A proposta foi inspirada após a compra de R$ 196.770 em cinco móveis e um colchão para a sede do Executivo, divulgada pelo jornal Folha de S.Paulo. Além de um limite anual de gastos, Ribeiro quer que os cartões corporativos da União tenham regras de utilização.

O deputado defende que as operações feitas nos cartões possam receber contestações dentro de um prazo de até 60 dias. Ribere sugere que haja um limite nos gastos, que seria equivalente à média das despesas dos cartões dos últimos três anos. Na sequência, ele passaria por um processo de redução gradual: 10% a partir de 2024, 20% em 2025 e 30% em 2026.