Em um acordo assinado na madrugada desta sexta-feira (14) com o prefeito Bruno Reis (DEM), o sindicato dos rodoviários se comprometeu a encerrar as paralisações de ônibus que vinham acontecendo na capital.

Os funcionários demitidos da CSN e os ainda na ativa pediam a assinatura de uma minuta cobrando o pagamento de direitos trabalhistas. O Consórcio CSN era responsável por mais de 60 linhas de ônibus e sofreu uma intervenção do poder público municipal por não conseguir manter sua operação em funcionamento.

“Foram três dias de luta até conseguir essa assinatura. Ainda vai demorar um tempo para seguir todo o rito burocrático, mas foi um avanço importante”, diz Daniel Mota, diretor de comunicação do sindicato. Até a assinatura da minuta, por dias seguidos, os rodoviários fecharam as estações da Lapa e Pirajá ou atrasaram a saída dos ônibus das garagens.