A Bahia vai receber R$ 189 milhões do governo federal para investir em ações de combate à seca, o que representa o maior volume do total de recursos (R$ 793 milhões) anunciados nesta terça-feira (27), pelo presidente Michel Temer (PMDB) em solenidade no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, em Maceió (AL). Dentre os 15 estados que serão beneficiados, a Bahia é o que terá o maior volume de investimentos que serão realizados para minimizar os efeitos da estiagem prolongada.

Em todo o estado, 164 municípios vão receber recursos, que serão destinados à construção de cisternas para consumo humano e compra de leite produzido por agricultores familiares. O governador Rui Costa (PT) participou da formalização da liberação dos recursos, ocorrida nesta terça em Maceió, onde também estavam o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, além de governadores e representantes dos estados do semiárido e da Amazônia.

Durante o evento, Rui Costa propôs ao ministério que, além da cisternas, também fossem abertos poços que garantam abastecimento durante o ano inteiro em áreas tradicionalmente atingidas pela seca. A sugestão foi aceita pelo ministro Osmar Terra.

Investimento – Do volume total que será destinado aos estados, R$ 250 milhões são oriundos da repatriação de dinheiro mantido por brasileiros no exterior e R$ 255 milhões vêm da reativação de 40 convênios entre o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, estados e municípios.

Os cerca de R$ 300 milhões restantes estão previstos na Lei Orçamentária Anual de 2017. Após a Bahia, Pernambuco (R$ 155 milhões), Ceará (R$ 68 milhões) e Alagoas (R$ 67 milhões), todos do eixo Norte-Nordeste, são os estados que receberão mais recursos.

O único estado fora desse eixo a receber recursos para combater a seca é o Rio Grande do Sul, que terá R$ 38 milhões.