O presidente Jair Bolsonaro foi eleito como “Pessoa do ano” na promoção do crime organizado e da corrupção pelo Organized Crime and Corruption Reporting Project (Projeto de Reportagem de Crime Organizado e Corrupção, na sigla em inglês), um dos maiores consórcios de jornalistas investigativos do mundo. A informação é da coluna de Guilherme Amado, na revista Época.

Bolsonaro foi escolhido por ter se “cercado de figuras corruptas, usado propaganda para promover sua agenda populista, minado o sistema de Justiça e travado uma guerra destrutiva contra a região da Amazônia, o que enriqueceu alguns dos piores proprietários de terras do país”.

Em outros anos, já foram escolhidos o russo Vladimir Putin, o venezuelano Nicolás Maduro e o filipino Rodrigo Duterte. Desta vez, o presidente concorria com nomes como Donald Trump e o presidente turco Recep Erdogan.