Em seu último discurso, a presidente Cristina Kirchner se despediu bem ao seu estilo. Todos aguardavam a sua reação depois que uma medida cautelar da juíza Servini de Cubria determinou que ela deixaria de ser presidente do país às 23h59 desta quarta-feira (9).

A medida levou à ruptura definitiva e propiciou o pretexto para Cristina se negar a comparecer ao evento e a passar a faixa presidencial ao seu sucessor. “Não me façam falar demais, porque à meia-noite eu virarei abóbora”, disse Kirchner.

Ela deu a entender que, se não estará presente na posse será por culpa de Macri, que se empenhou para não realizar o evento no Congresso e recorreu à justiça para receber a faixa presidencial na Casa Rosada. “Todos os argentinos vivemos de certa forma, neste momento, sob liberdade condicional”.

“Eu gostaria de passar o bastão no Congresso. Seria um prazer. Dói ter de ver um presidente em quem ninguém votou assumir o cargo [em referência a Pinedo]por uma decisão judicial. Ninguém merecia isso. Nem os 51% que votaram em Macri, nem os 49% que votaram em nós”, completou a presidente.