O país está passando por um grande problema de saúde com o aumento considerável dos casos de dengue e nossa região não foge deste perigoso cenário. Por este motivo, é preciso que uma verdadeira força-tarefa seja criada, a fim não apenas de acabar com os focos de proliferação das larvas dos mosquitos Aedes aegypti, mas também, para conscientizar a população de que de nada adianta fazermos tudo certo em casa, se nosso vizinho também não faz a parte dele.

E esse compromisso vai além de eliminar os focos – locais onde pode-se acumular água –, mas também, notificar o sistema de saúde sobre sintomas da doença. Para que ações de controle como o bloqueio costal e fumacê aconteçam, é necessário que a vigilância epidemiológica seja notificada e isso acontece com o registro dos casos nas unidades de saúde.

Nas unidades de saúde, o paciente suspeito será classificado em grupo A e B e encaminhado para a realização de exames laboratoriais e sorologia. Hemograma e sorologia são realizados na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Avenida Esperança, de segunda a sexta-feira, das 07 às 11 horas e das 14 às 17 horas. A sorologia também pode ser realizada no PA Zona Sul, de quarta a sexta-feira, das 7 às 11 horas.

É necessário que o paciente seja encaminhado com a segunda via do preenchimento da ficha de notificação, ficha de contrarreferência e a solicitação do exame constatando cid da arbovirose.

Material informativo | Sesau/Ilhéus