Pré-convocados para defender o Brasil no Pré-Olímpico de basquete masculino, os alas Didi Louzada e Gui Santos pediram dispensa ao técnico da seleção, o croata Aleksandar Petrovic. Em postagem no Twitter, o treinador lamentou a ausência da dupla na competição, que será realizada em Split (Croácia) entre 29 de junho e 4 de julho.

Presentes na lista de 25 pré-convocados divulgada pelo técnico na última quarta-feira (19), os atletas justificaram os pedidos de dispensa por meio das respectivas assessorias de imprensa. Didi “terá que cumprir um planejamento de treinos com o New Orleans Pelicans [franquia que defende na NBA, que é a principal liga norte-americana de basquete]durante a offseason [período da temporada sem jogos]”, conforme nota.

Gui Santos, por sua vez, embarca para os Estados Unidos nos próximos dias, onde será submetido a um período de treinos visando o draft, evento da NBA no qual as franquias da liga recrutam atletas de universidades norte-americanas e de diferentes países. Na temporada 2020/21 do Novo Basquete Brasil (NBB), o ala atuou pelo Minas Tênis Clube.

A competição na Croácia será a única oportunidade de classificação olímpica para o basquete brasileiro. A estreia, em 29 de junho, é contra a Tunísia. No dia seguinte, a seleção anfitriã será a adversária. Os comandados de Petrovic têm de ficar, pelo menos, na segunda posição do grupo para avançarem às semifinais, onde terão pela frente Rússia, Alemanha ou México. Somente o campeão do torneio em Split vai a Tóquio.

Dos agora 23 pré-convocados, 16 serão chamados em definitivo para o pré-olímpico. Segundo a Confederação Brasileira de Basquete (CBB), a lista final será divulgada “nas próximas semanas”. A relação atual aposta em veteranos como o pivô Anderson Varejão (Cleveland Cavaliers, da NBA), os alas Marquinhos (Flamengo) e Alex (Bauru) ou o armador Marcelinho Huertas (Tenerife, da Espanha), mas também jovens como os armadores Caio Pacheco (Murcia, da Espanha), Yago (Flamengo) e Georginho (São Paulo).