Uma criança isolada pela pandemia se depara com seus próprios monstros. “Eles são assustadores ou encantadores?”, essa questão mobiliza seu pai a construir um universo imaginário que recria sua casa, seus medos, suas reflexões e desafios. Inspirado nos autômatos e no Teatro Lambe-lambe, o musical Meu monstro é um espetáculo passeia por diversos ritmos musicais, vai do samba ao rock passando pelo reggae e maracatu, tudo na voz de Camila Carvalho, atriz de 11 anos de idade, que dá vida à criança e seu imaginário.

“Essa é uma montagem diferente. Nos impôs muitos desafios, para além daqueles que já nos são impostos pela precariedade que a produção cultural no Brasil tem passado nos últimos anos. O isolamento social, o ‘monstro’ da pandemia nos cercando, o medo de ser infectada, o medo de morrer, de perder algum parente…” É o que diz Tânia Barbosa, diretora da montagem, em trecho de seu depoimento sobre o processo criativo de Meu monstro é um espetáculo.

A montagem é uma parceria de Tânia com Cabeça Isidoro, que assina a direção musical. De acordo com os realizadores foram mais de 4 meses de trabalho. Tudo começou com a criação e confecção das caixas-cenários. Uma tarefa engenhosa assumida por Cabeça que confeccionou cada caixa com material reciclável, e Tânia, responsável pela pintura e acabamento. Mas a equipe do projeto contou com outras cabeças. Pablo Lisboa, ator, músico e compositor foi responsável pela produção musical. Luis Alonso-Aude, ator, pesquisador e diretor teatral fez a direção da pós-produção de imagens. Ainda trabalharam no projeto, Antônio Melo, na preparação vocal, e Ruan Lisboa, responsável pela montagem e finalização.

O espetáculo estreia 19 de dezembro às 17 horas, contando com mais uma apresentação no dia 26 também às 17 horas. Os ingressos são limitados, e estão à venda na plataforma Sympla por 10 e 20 reais. O público pode ainda ajudar o grupo com colaborações voluntárias de 50 e 100 reais, e dessa forma contribuir para a construção da nova sede do Teatro Popular de Ilhéus.

Os ingressos estão disponíveis no site: www.sympla.com.br/teatropopulardeilheus

Bate-papo com os criadores

Após as exibições do espetáculo, Camila Carvalho, Tânia Barbosa e Cabeça Isidoro abrem suas casas para um bate-papo com a criançada, que poderá fazer comentários e perguntas sobre o processo criativo de Meu monstro é um espetáculo.

O Teatro Popular de Ilhéus é uma instituição cultural privada, parcialmente mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, Governo do Estado da Bahia, mecanismo que custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.