A Prefeitura de Ilhéus, por meio da Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza, está realizando a Campanha Nacional Maio Laranja, que visa combater o Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Durante toda essa semana está sendo realizado Pit Stop e adesivaço nos seis Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) – Norte, Vilela, Olivença, Sul, Oeste e Salobrinho.

E na próxima quinta-feira (16), será realizado o Fórum de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, a partir das 08 horas, no Auditório do Colégio Arleo Barbosa, com toda a rede de proteção do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), finalizando as atividades com uma grande caminhada, na sexta-feira (17). A concentração será na Praça Guadalajara, em frente ao Estádio Mário Pessoa.

Maio Laranja - SPS

O objetivo do Maio Laranja é mobilizar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos de crianças e adolescentes, por meio da conscientização no enfrentamento à violência sexual.

O titular da SPS, Rubenilton Silva, reforça o compromisso da pasta com a promoção de ações que contribuam para o enfrentamento dessa grave violação dos direitos humanos: “Nossa missão é sensibilizar o máximo possível, a sociedade, na defesa das nossas crianças e adolescentes. Estamos empenhados em colaborar com a construção de uma cultura de respeito e prevenção ao abuso e exploração sexual infantil no  município”, disse.

Toda criança e adolescente tem direito ao desenvolvimento de sua sexualidade de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual. Em qualquer situação observada, denuncie! Disque 100, procure o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) ou o Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) e busque apoio para as vítimas.

Maio Laranja - SPS

Por que dia 18 de maio?

O Maio Laranja é um mês dedicado à realização de atividades de prevenção contra Abuso e Exploração de Crianças e Adolescentes. O dia 18 foi escolhido porque, em 18 de maio de 1973, em Vitória, no Espírito Santo, um crime, conhecido como Caso Araceli, chocou o país pela brutalidade. Araceli era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade que foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta. O crime permanece impune até hoje.

As ações contam com a parceria das secretarias municipais de Educação, Saúde, Sutran, Câmara de Vereadores, OAB – Ilhéus, Conselho Tutelar, CREAS Medidas e PAEFI, além dos 68º, 69º e 70º Batalhões da Polícia Militar.

por Meire Borges, SPS