O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, se reuniram em Nova York, nos Estados Unidos, nesta quarta-feira (20).

A reunião começou por volta das 17h no horário de Nova York (18h, no horário de Brasília) e durou mais de meia hora.

Os ministros das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, e da Ucrânia, Dmytro Kuleba, disseram a jornalistas que a reunião foi boa e de cooperação.

Kuleba disse que Lula se comprometeu com a Ucrânia e a continuar ajudando a promover a paz.

Nas redes sociais, o presidente da Ucrânia se pronunciou após o encontro: “Reunião importante com Lula. Após a nossa discussão honesta e construtiva, instruímos as nossas equipas diplomáticas a trabalhar nos próximos passos nas nossas relações bilaterais e nos esforços de paz. O representante brasileiro continuará participando das reuniões da Fórmula da Paz.”

Lula também falou sobre o encontro nas redes: “Tivemos uma boa conversa sobre a importância dos caminhos para construção da paz e de mantermos sempre o diálogo aberto entre nossos países”.

O encontro aconteceu no hotel onde Lula está hospedado, e o presidente ucraniano utilizou uma “entrada secreta”. Diferente dos outros chefes de Estado que se reuniram com o presidente brasileiro, Zelensky conta com um esquema de segurança muito reforçado.

Os dois líderes se encontram em território americano por conta da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

Acompanhavam Zelesnky no encontro, o chefe de gabinete da Presidência, Andrii Iermak, o ministro das Relações Exteriores, Dmytro Kuleba, um assessor para a política externa e o assessor-chefe para assuntos militares da Ucrânia.

Na comitiva de Lula estavam o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, o ministro da Secretaria de Comunicação Social, Paulo Pimenta, e o assessor especial de assuntos internacionais da Presidência, Celso Amorim.
Primeiro encontro entre Lula e Zelensky

Lula e Zelensky nunca haviam se encontrado presencialmente para uma reunião bilateral antes desta quarta e a iniciativa deste encontro partiu do lado ucraniano.