Foram prorrogadas por mais 90 dias as prisões de investigados na Operação Faroeste, que são acusados de negociar venda de sentenças no Tribunal de Justiça da Bahia.

As prisões prorrogadas foram as da ex-presidente do TJ-BA, Maria do Socorro, do falso cônsul Adailton Maturino e sua esposa, de Antônio Roque do Nascimento Neves, do advogado Márcio Duarte e do juiz Sérgio Humberto de Quadros Sampaio.

A decisão foi do ministro do Superior Tribunal de Justiça, Og Fernandes, e atendeu a manifestação da Procuradoria-Geral da República (PGR), que requereu a manutenção da prisão preventiva de seis réus da Operação Faroeste.

Presos em novembro de 2019, os réus respondem a duas ações penais (940 e 965) nas quais foi apontada a prática dos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.