Deputados franceses apresentaram hoje uma moção de censura contra o governo de Emmanuel Macron por causa da canetada para aprovar a reforma da previdência. Como mostramos, ontem, o presidente da França decidiu recorrer a um artigo da Constituição que permite ao Executivo promulgar medidas sem o aval do Parlamento.

Um dos principais pontos da reforma é o aumento da idade mínima de aposentadoria de 62 para 64 anos. A moção de censura é a última chance que os deputados têm de barrar as mudanças, rejeitadas por mais de dois terços dos franceses, que têm realizado protestos.

O mecanismo foi apresentado hoje por um grupo formado por partidos do centro e apoiado por partidos de esquerda. A Assembleia Nacional avaliará agora se aprovará a moção. Se isso ocorrer, uma votação sobre se o governo deve continuar ou não será aberta. Em caso de aprovação da moção, a primeira-ministra do país, Elisábeth Borne, será destituída do cargo, e Macron terá de formar um novo governo. Na prática, a medida resultaria no cancelamento da reforma da previdência.