O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, falou sobre a expectativa par ao julgamento que pode definir o futuro do ex-presidente Lula e do PT. Coordenador-geral do programa de governo do PT para a eleição, ele acredita que o “lulismo” irá sobreviver independente do julgamento, mas defende que a esquerda precisa de repensar.

“O lulismo vai sobreviver ao Lula pela força da sua liderança. São 40 anos de Lula. Essa marca ele deixou (…) Há quem diga que a candidatura de Lula sirva apenas para atrasar a reconstrução da esquerda (…) Acredito que, qualquer que seja o resultado eleitoral, em 2019 começa um novo jogo. As medidas eleitorais que já foram tomadas vão começar a surtir efeitos. Os partidos vão ter de se mexer. Não faz sentido ter cinco partidos de esquerda, 15 de centro, 12 de direita. Não tem razoabilidade. As forças políticas vão ser obrigadas a se mexer, a esquerda também vai ter de se repensar. Com Lula ou sem”, disse, em entrevista o Estadão.

Mesmo com toda a pressão em torno do julgamento, Haddad acredita que Lula será absolvido por conta da “fragilidade da sentença”.

“Temos de ter a expectativa de que o Lula possa efetivamente ser absolvido em razão da fragilidade da sentença. Ela não se sustenta. Vou um pouco além dos juristas que têm se manifestado a favor do Lula e dizem que não há prova no processo. Na minha opinião, não há nem crime”, declarou.

Ele afirmou, ainda, que uma eventual prisão de Lula irá frustar a população. “Vai frustrar uma parcela significativa da população que considera legítimo o direito de Lula disputar a Presidência. E eu entendo que os adversários do PT têm uma chance de ganhar a eleição legitimamente. Uma chance real. Não é porque perderam quatro eleições que não podem ganhar a próxima. É a tentativa de ganhar por W.O.”, afirmou.