Durante entrevista concedida na manhã desta terça, 6, ao radialista Erivaldo Vilanova, na Rádio Conquista FM o prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, afirmou que tem certeza de que ao final do seu mandato entregará ao próximo gestor uma cidade mais organizada, bem diferente do que encontrou em janeiro de 2013. Indagado sobre o assunto, Ribeiro fez uma precisa comparação de como recebeu a cidade e o que enfrentou para promover o ajuste de contas, atualizar pagamento de salários, regularizar a limpeza pública, recuperar e reabrir escolas e postos de saúde, entre outros.

O prefeito, que se encontrava em período de licença para cuidar da saúde, disse que se sente no dever de defender a sua administração diante de críticas de cunho político-eleitoral que têm sido repetidas por determinados candidatos a prefeito. Ironicamente, salienta o prefeito, a grande maioria dessas críticas parte justamente daqueles que eram responsáveis pela administração de Ilhéus no período de 2005 a 2012.

Afastado o aspecto político-eleitoral que contamina a discussão, o prefeito revelou dados de uma pesquisa realizada por uma empresa de Salvador, a Analítica, na qual cerca de 70 por cento dos ilheenses afirmam estar, de alguma forma, satisfeitos em morar em Ilhéus. “Hoje a cidade está bem melhor do que quando a recebi, em 2013. Uma pesquisa de opinião recente, de caráter não eleitoral, perguntou: como você se sente morando em Ilhéus. E o resultado desse levantamento, revelou que os índices entre satisfeitos e muito satisfeitos foram de 79%, quase 80%. Se você perguntasse isso há quatro anos, a resposta seria bem diferente”, avaliou o prefeito.

Jabes considerou que na verdade muitos problemas existem, como em todos os lugares, mas que a realidade hoje é bem diferente. “Mesmo diante de toda a destruição realizada e deixada pela gestão de Newton Lima e seu vice, Mário Alexandre, meu amigo, a cidade hoje está de pé. Hoje temos usina asfáltica, iluminação muito mais adequada – às vezes acontece alguns problemas, mas nós resolvemos. Não temos mais aquela buraqueira na cidade.

Recebemos Ilhéus liquidada. E a pesquisa de satisfação, atual, a qual me refiro aqui, e reforço que não é eleitoral, mostra que os que moram aqui estão satisfeitos”, destacou.

Eficiência – O prefeito lembrou a situação difícil em que recebeu a cidade, e ainda esclareceu sobre a origem dos dados de uma pesquisa do Ranking de Eficiência Municipal, que indicou Ilhéus como pouco eficiente nas áreas de saúde, saneamento e educação. “Recebi Ilhéus nas páginas policiais, com as certidões negativas, sem crédito para nada. Ainda com um rombo de R$ 8 milhões na saúde. Vim aqui defender o meu governo, isso é meu dever. Alguns fizeram uso eleitoral dos dados desse ranking da saúde, que revelou pouca eficiência nesse setor. Esses dados são de 2010, referentes à educação e saneamento. Os da saúde são do início de 2013, que foram coletados anteriormente. Esses dados explicitam o descalabro da gestão passada com a saúde. Só para lembrar, Newton teve mais de dez secretários de saúde em sua administração. Não dar para creditar o índice de
pouco eficiente na saúde ao nosso governo”, enfatizou.

Sobre os avanços na área da saúde, o prefeito detalhou alguns aspectos: “Recebemos a clinica odontológica Napoleão Marques, fechada. Hoje a temos em pleno funcionamento, com 11 dentistas atendendo; recebemos a Secretaria de Saúde com 28 veículos, apenas seis funcionavam. Dos 22 veículos sem uso na gestão anterior, nós recuperamos 18. Hoje, a Saúde atua com uma frota de 52 veículos. O Samu tinha três ambulâncias em péssimo estado. O prefeito era Newton e o vice, Mário Alexandre. Hoje temos no serviço de urgência, nove ambulâncias, sendo duas avançadas, e três motolâncias.

Em quatro anos perdi dois, só organizando a administração e pagando as dívidas deixadas. O PT, que estava no governo anterior, parou a cidade com quatro meses de greve. Essa turma não tem autoridade para fazer qualquer crítica. Aqueles que destruíram, agora criticam”, ressaltou.