Salvador registrou a criação de mais 4.741 empregos formais no mês de fevereiro, chegando a um acumulado de 10.751 novas vagas criadas desde o início do ano. Com isso, a capital baiana é a cidade que mais gerou postos de trabalho com carteira assinada nas regiões Norte e Nordeste no primeiro bimestre de 2024 e a terceira do Brasil nesse quesito.

Os dados são do Novo Caged (Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) e foram divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego na quarta-feira (27). O setor de serviços liderou a criação de empregos, com 10.038 postos formais, seguido da construção, com 1.886.

No País, a capital baiana ficou atrás apenas de São Paulo (SP) e Curitiba (PR). Salvador, inclusive, gerou mais empregos formais neste primeiro bimestre do ano do que a Bahia, que tem um acumulado até agora de 9.548 vagas criadas.

O desempenho de Salvador em fevereiro de 2024 é inclusive melhor do que o registrado pela capital baiana no mesmo mês do ano passado, quando criou 2.069 empregos. Ou seja: o aumento em fevereiro de 2024 comparado ao mesmo período do ano passado é de quase 130%.

A secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Renda, Mila Paes, afirmou que o resultado positivo da capital baiana é fruto das diversas políticas de atração de investimentos e capacitação da mão de obra. Ela citou iniciativas como o programa Invista Salvador, os cursos ofertados pelo programa Treinar para Empregar e ações voltadas para o setor de tecnologia, como o Salvador Tech.

“O que estamos vendo é o resultado de uma série de políticas públicas voltadas para a geração de emprego em Salvador. Estas políticas vão desde a atração de novos negócios, passando pelas ações de treinamento e capacitação, até mesmo os robustos investimentos feitos pela Prefeitura na cidade, melhorando a infraestrutura e os serviços públicos essenciais”, salientou.

Ela também destacou as iniciativas de desburocratização e de incentivos para a atração de negócios. “Salvador hoje está entre as três capitais com o melhor desempenho no Ranking Nacional de Dispensa de Alvarás e Licenças, com 767 atividades consideradas de ‘baixo risco A’. Além disso, o tempo médio de abertura de empresas em Salvador caiu de 6h para 4h. Vale citar ainda que nesta semana a Prefeitura regulamentou um programa para atrair empresas de logística através de novos incentivos fiscais. O resultado do Caged mostra que estamos no caminho certo”, frisou.