O Teatro Popular de Ilhéus preparou uma programação especial para comemorar o mês das crianças. Com espetáculos infantis, contação de histórias, cinema, cordéis, palhaçaria e feira de artesanato, culinária e produtos naturais, as atrações são ideais para qualquer idade e acontecerão durante os próximos finais de semana.

No dia 19 de outubro, próximo sábado, acontece a IV Feirinha Popular de Produtos Regionais do TPI. Esta edição da feira tem o tema especial do “mês das crianças”, oferecendo vários produtos feitos por pequenos comerciantes da região. O público terá a possibilidade de consumir itens como artesanatos diversos, produtos de beleza, moda e saúde, além de variedades gastronômicas a preços populares. As atrações artísticas ficam por conta do “Conto e Cantigas” com a história “A mulher de sete metros”, trazendo uma contação interativa e com trilha sonora executada ao vivo; haverá também recitação de cordéis infantis, palhaçaria com as palhaças do grupo As Madalenas e os palhaços do Grupo Maktub, e ainda exibição de animações e curta-metragens infantis.

Além disso, durante a feirinha também será exibido o espetáculo “Shicó do Mamulengo no brinquedo de João Redondo”. A montagem é uma homenagem à cultura brasileira e suas raízes afro-lusitanas, e tem linguagem popular e dinâmica, interagindo com a plateia enquanto o ator se desdobra em muitos personagens para contar a história de um fazendeiro (João Redondo) e seu filho adotivo (Baltazar), um rapaz ingênuo e atrapalhado que vive situações engraçadas no decorrer do espetáculo. Nascido em Açú, no Rio Grande do Norte, Shicó é bonequeiro há 12 anos, além de ator, figurinista, aderecista, cenógrafo e poeta, e atualmente faz parte da equipe do TPI, coordenando o Centro Técnico de Figurinos e Adereços do grupo.

No dia 25 (sexta-feira), às 19 horas, vai em cena o espetáculo de mamulengos “Baltazar e a terrível peleja entre o Cangaceiro e o Coronel ou às vezes tem briga que termina em merda”. A brincadeira conta a história de Baltazar, um trabalhador muito astuto que descobre por acaso o ataque do Cangaceiro mais temido do sertão, João Valente, à cidade para cobrar vingança do Coronel João Redondo. O Coronel é pai de Minelvina, por quem Baltazar se desmancha de amores. Com a ajuda do amigo Benedito, Baltazar, medroso de corpo e alma, vai pôr em prática suas artimanhas para salvar a vida do Coronel e cair nas graças de Minelvina. Uma prova de que “a violência não é nada diante da inteligência”. Teatro de bonecos inspirado nos mamulengueiros do nordeste do Brasil. Com direção musical de Antônio Melo e cenários e figurinos de Shicó do Mamulengo, o espetáculo tem texto e direção de Romualdo Lisboa. Os ingressos podem ser adquiridos por R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada).

No sábado, dia 26, às 17 horas, tem “Conto e Cantiga” recontando a história “A mulher de sete metros”. A contação é feita por Tânia Barbosa, Gilberto Morais e Shicó do Mamulengo, utilizando brinquedos e brincadeiras tradicionais da cultura infantil brasileira. A trilha sonora ao vivo é executada por Cabeça Isidoro. Mais tarde, às 19 horas, é a vez das “Palhaças & Palhaços”, trazendo o reencontro do coletivo de palhaçaria feminina As Madalenas com os palhaços do Grupo de Tratro e Circo Maktub. O show de quadros cômicos utiliza diversas linguagens para expressar as identidades de cada grupo interagindo entre si e tendo o público como testemunha desse encontro trapalhão. Ambas as programações têm entrada na modalidade “pague quanto quiser”.

Além disso, desde a última edição da Feirinha Popular o TPI traz agora para seus eventos a “Carroça Troca-Troca” – uma espécie de brechó livre onde as pessoas podem doar qualquer coisa em bom estado que não lhe sirva mais (livros, roupas, objetos, etc) e também pegar para si coisas que lhe interessam. Não é necessário doar para ter direito às aquisições, e todas as doações restantes ficam para as próximas edições. Neste mês das crianças, o TPI sugere ainda que as pessoas doem brinquedos e livros infantis, a fim de beneficiar o público infantil. A Carroça ficará exposta em todos os eventos da Tenda, estimulando a livre troca entre o público.

O Teatro Popular de Ilhéus é uma instituição cultural mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, mecanismo que custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.