Na noite da última sexta-feira, 11, aparentemente sem nenhum fato que justificasse as agressões, dois policiais militares lotados em Gandu e Bom Jesus da Lapa, estando em Coaraci (município distante a 448 km da capital Salvador), espancaram o jovem Vagner Conrado Santos, 33, de forma covarde.  A família, inconformada com a ‘tortura’, como afirmam, estão tomando as providencias necessárias para apuração do fato e punição dos envolvidos. Anexo termo.

A família já comunicou o fato a CPR-Sul, Corregedoria geral da Policia Militar em Salvador, Comando geral da PM, Comissão Permanente de Direitos Humanos da Assemebleia Legislativa e Câmara Federal. “Precisamos coibir este tipo de violência na sociedade e, não é por que esses policiais sendo de famílias políticas locais, devam ficar impunes”, afirmou um parente da vitima que prefere não se identificar.

Vitima, “quero justiça”.

Tortura é a imposição de dor física ou psicológica por crueldade, intimidação, punição, para obtenção de uma confissão, informação ou simplesmente por prazer da pessoa que tortura.

Vagner levou bastantes chutes e murros.

Segundo o agredido, esses policiais estavam à paisana e bebendo. Além do mais, estão em estágio probatório, o que não deixa de ser um agravante.  – neste caso, se comprovado a tortura, correm o risco de perder a farda, além da pena de Reclusão de 4 a 10 anos. Na melhor da hipótese, os policiais atentaram contra a lei 13.869.

A vitima levou uma pancada tão forte na cabeça, que teve duas convulsões.

A família agora está na expectativa e aguarda um posicionamento do Comando da Polícia Militar da Bahia. Que se apure, e se faça justiça!
O Jornal do Radialista coloca-se a disposição dos policiais que são citados no Termo de Declarações, oportunizando assim, suas defesas aqui neste site.