Luan Patrício contou durante o reality show que matou um menor durante a ocupação do Complexo do Alemão em 2010

Um integrante do Big Brother Brasil 15 deverá ser ouvido pela polícia nos próximos dias, afirma o colunista Lauro Jardim, da revista Veja. A Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro deverá ir ao Projac ouvir Luan Patrício, um dos participantes do reality show que está confinado na casa mais vigiada do Brasil.

Pouco depois de entrar na casa, o carioca de 23 anos afirmou que matou um menor de 16 anos no Complexo do Alemão enquanto servia o exército, em 2010. Ele integrava o 8º Grupo de Artilharia que ocupou algumas favelas da região.

O Exército Brasileiro nega que qualquer morte tenha acontecido no confronto com esta unidade, mas o delegado Rivaldo Barbosa quer ouvir a história que Luan contou apenas de forma superificial durante das câmeras do BBB 15.

“Acho que ele era mais novo do que eu. Eu estava com 19, ele devia estar com 16″, disse Luan, para depois detalhar o disparo com uma submetralhadora.”Rasgou a cabeça dele e a caixa d’água. Na hora eu tremi, o sargento olhou para mim e disse: ‘ou era você ou ele'”, completou. Luan disse que deixou o Exército depois de servir por dois anos para cuidar da saúde da mãe.