O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin afirmou que só enviará a denúncia ofertada pelo procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer depois que Corte tomar uma decisão sobre a suspensão da mesma, conforme determina a Constituição.

A decisão, no entanto, só será anunciada na próxima quarta-feira (20), quando o STF vai retomar o julgamento, iniciado nesta semana, que analisa a possibilidade de suspender a apresentação de denúncia contra o presidente da República baseada nas provas obtidas por meio da delação dos executivos da J&F.

Para o advogado de Temer, Antônio Cláudio Mariz, as suspeitas de que o ex-procurador da República Marcello Miller teria beneficiado os delatores da J&F, fato que motivou abertura de processo de revisão da delação premiada dos executivos da empresa, justifica cautela no prosseguimento das investigações e a suspensão da eventual denúncia.