O prefeito Augusto Castro destacou os avanços que representam para Itabuna a correta destinação dos resíduos sólidos em aterro sanitário certificado pelos órgãos ambientais no quilômetro 21, da Rodovia Jorge Amado, Ilhéus – Itabuna. “Para a cidade é um salto de qualidade porque dessa forma estamos cuidando da saúde das pessoas e do meio ambiente”, afirmou.

Augusto lembrou que a maioria dos municípios regionais enfrenta muitas dificuldades para cumprir a Lei do Marco do Saneamento Básico, que estabelece prazo para o fim dos lixões no país. “Mas, certamente, com a criação de consórcios vamos conseguir dar um grande passo, principalmente contando com o apoio do Governo do Estado que se mobiliza neste sentido”, expressou.

O prefeito afirmou que por meio de ação integrada as pessoas que trabalham no lixão, em processo de desativação, serão redirecionadas para associação ou cooperativa de reciclagem. “Com o apoio da Defensoria Pública da Bahia, as secretarias de Promoção Social e Combate à Pobreza, de Infraestrutura e Urbanismo e de Planejamento vão atuar conjuntamente na melhoria da qualidade de vida das famílias”, disse.

O diretor comercial da Marca Ambiental/CVR Costa do Cacau, Rodrigo Zaché, atendeu ao pedido de Augusto Castro e elevou de quatro para seis meses o prazo para conceder a 100 famílias um auxílio financeiro no valor R$ 700,00. “Parabenizo o prefeito de Itabuna por sua sensibilidade em atender às famílias, zelar pela saúde das pessoas e conservar o meio ambiente” ressaltou.

O fim do lixão, além atendimento à legislação ambiental e de não degradação do solo, lençol freático e emissão de gases de efeito estufa na atmosfera, tem importância por ser grande disseminador de doenças, pragas, vetores e outros patogênicos que propagam doenças. Segundo a Organização Mundial de Saúde, para cada R$ 1 investido em saneamento se economiza outros R$ 4 em saúde pública”, afirmou Zaché.

Quanto à questão social, o dirigente da empresa enfatiza que os catadores merecem atenção especial. “Temos que ter olhar voltado para a população que vive no lixão e dele tira seu sustento não por opção, mas por necessidade. Em parceria com o município vamos conseguir reinseri-los no mercado de trabalho, com capacitações, coleta seletiva e um local apropriado para que façam a segregação dos materiais e de valorização dos recicláveis”, realçou.

Zaché também destacou o desenvolvimento regional, já que grandes empresas e indústrias para se instalar levam em conta se há na região descarte eficiente dos resíduos sólidos com atendimento à legislação ambiental. “Isso é fator decisivo para atração e criação de polos industriais”, afiançou.

Por meio de parceria com a Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza, as famílias do lixão também vão receber aluguel social e cestas básicas, segundo informou a secretária de Promoção Social e Combate à Pobreza, Andrea Castro.

Para o presidente da Associação dos Municípios do Sul, Extremo-sul e Sudoeste (AMURC) e prefeito de Itajuípe, Marcone Amaral, Itabuna dá um grande exemplo. “Preciso destacar o avanço com a assinatura pelo prefeito Augusto Castro dessa Ordem de Serviço que vai eliminar um problema que a região tem há anos”, disse.

Segundo ele, a AMURC está trabalhando com os pequenos municípios, que têm mais dificuldades para contratualização. “Mas vamos buscar uma solução, já que com uma estrutura da CVR, pode ficar bem mais fácil para os prefeitos descartar os resíduos em aterro sanitário certificado”, concluiu.

_______________________________

Itabuna fecha lixão e dá grande passo na melhoria da saúde do povo e conservação ambiental

Itabuna dá um grande passo na conservação ambiental e nas melhorias das condições de saúde da população com a destinação dos resíduos sólidos domiciliares e hospitalares para um aterro sanitário, certificado pelos órgãos ambientais no quilômetro 21, da Rodovia Jorge Amado, Ilhéus – Itabuna.

Na manhã desta segunda-feira, dia 3, o prefeito Augusto Castro (PSD) assinou a Ordem de Serviço que autoriza a Central de Valorização de Resíduos (CVR) Costa do Cacau atender a demanda de tratamento, valorização e disposição final dos resíduos, em cumprimento à Lei nº 14.026, de julho do ano passado, a Lei do Marco do Saneamento Básico, que estabelece prazo para o fim dos lixões no país. A partir de terça-feira, os caminhões compactadores já descartam os resíduos em novo local.

Em Itabuna, o atual lixão funciona há cerca de 40 anos em terreno nas proximidades do Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães, com impactos negativos sobre o meio ambiente e a saúde das pessoas que atuam no local, além da população em geral.

Além de atender à legislação, o prefeito de Itabuna determinou integral atenção às cerca de 50 famílias que trabalham e até residem no lixão em situação degradante. “Vamos ter um olhar especial para essa gente que diariamente busca o sustento e de suas famílias se expondo a riscos para sua saúde. Temos que encontrar uma solução definitiva de sua reinserção no mercado de trabalho, educação de seus filhos e que tenham uma vida digna”, expressa Augusto.

Através de uma parceria com o município, pelos próximos seis meses, a CVR Costa do Cacau vai conceder um auxílio financeiro no valor R$ 700,00 por mês para 100 famílias que moram ou trabalham no lixão. Elas foram cadastradas pela Defensoria Pública do Estado (DPE-BA). Por meio de parceria com a Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza, elas também vão receber aluguel social e cestas básicas através da Prefeitura de Itabuna.

Além disso, vão participar de um projeto de inclusão social e capacitação profissional, que inclui ações como a criação da Associação de Catadores e sua inclusão nos programas sociais da Secretaria de Promoção Social e instituição da Coleta Seletiva no Município, com a instalação de 10 ecopontos para captação de materiais recicláveis e construção de unidade de reciclagem, explica o secretário de Infraestrutura e Urbanismo, Almir Melo Jr.

O prefeito Augusto Castro está de parabéns pela decisão de contratação do aterro sanitário e selagem do atual lixão que só trouxe problemas à cidade”, concluiu Almir.

_______________________________

O que presenciamos é marco histórico para o sul da Bahia” diz secretário de Meio Ambiente

“O que presenciamos aqui é um marco histórico para o sul da Bahia e para Itabuna. Há mais de 30 anos vivenciamos um lixão a céu aberto com pessoas vivendo em condição subumana em degradação social e na companhia de porcos, urubus e cães. Então, o que se evidencia com esse aterro sanitário é a mudança de mentalidade na direção do ambientalmente correto e, principalmente, dar condições dignas a pessoas que trabalham na coleta do resíduo orgânico”, disse o secretário estadual de Meio Ambiente, José Carlos Oliveira.

O secretário representou o governo estadual nesta segunda-feira, dia 3, na cerimônia de assinatura pelo prefeito de Itabuna, Augusto Castro (PSD), da Ordem de Serviço para que os resíduos sólidos do município sejam destinados ao aterro da Central de Valorização de Resíduos (CVR) Costa do Cacau. Para João Carlos às vezes se imagina que lixo seja problemas. “Mas, na visão moderna, a gente tem que entender que mais de 80% do lixo podem ser aproveitados. Portanto, gerando renda para as pessoas”, realçou.

“Quero parabenizar o prefeito Augusto Castro. Que sua decisão sirva de exemplo para os demais municípios por construir parcerias, abrir oportunidades e por resolver um problema crônico que era o lixão de Itabuna”, comentou João Carlos. “Na qualidade de secretário estadual do Meio Ambiente fico extremamente feliz pela iniciativa que realmente vai resgatar pessoas que viviam em situação degradante”, completou.

O titular da secretaria estadual de Meio Ambiente (Sema) destacou a sensibilidade da secretária de Promoção Social e Combate à Pobreza, Andrea Castro, que está cuidando das pessoas com muita atenção, inclusive oferecendo aluguel social e cestas básicas para que saiam da situação de miserabilidade. “Para nós era uma tristeza muito grande ver a situação desse lixão”, relatou.

A Sema vai articular a Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB), Inema, Ministério Público Estadual e demais atores institucionais para discutir uma solução para os mais de 2 mil porcos no lixão. “É preciso uma providência. Esses animais não podem ir para o abate e para o consumo humano”, disse.

O presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Erasmo Ávila, também se congratulou com o prefeito Augusto Castro. “Parabenizo o prefeito e os secretários por dar um passo importante para que Itabuna se adéque às exigências do Marco do Saneamento Básico. Itabuna está de parabéns porque a Administração municipal tomou a decisão correta de destinação do resíduo sólido e de resgate das pessoas que vivem da reciclagem”, afirmou.

O líder do Governo no Legislativo, vereador Manoel Porfírio, declarou que o prefeito de Itabuna deu um passo importante para o futuro. “Aquele lixão a céu aberto era um absurdo. Com a decisão de usar o aterro se muda a situação. No tempo de hoje isso era inimaginável. A política de resíduos sólidos necessita da cooperação de todos, principalmente dos agentes públicos”, relatou.