O banco Bradesco informou que registrou lucro líquido contábil de R$ 7,075 bilhões no segundo trimestre deste ano. O valor representa uma alta de 18,4% comparado aos R$ 5,974 bilhões registrados no mesmo período do ano passado. O crescimento foi impulsionado pela recuperação na área de seguros e pela forte contenção de gastos.

Em relação ao primeiro trimestre, quando o banco reportou ganhos de R$ 7,009 bilhões, a alta foi de 0,9%. Já o lucro líquido recorrente, aquele que desconsidera efeitos extraordinários, foi de R$ 7,041 bilhões, o que representa uma alta de 11,4% quando comparado com o mesmo período de 2021 (R$ 6,319 bilhões).

“A performance em relação aos períodos anteriores é resultado do desempenho da margem financeira com clientes, das receitas de prestação de serviços e do resultado de seguros, que no agregado absorveram o impacto das maiores despesas com PDD e da redução da margem com mercado”, disse o Bradesco em comunicado.

O banco teve ainda recuo de 1,5% nas despesas operacionais, o que representa uma redução de quase R$ 200 milhões. Apesar disso, o Bradesco registrou queda de 4,1% em sua margem financeira total, para R$ 16,361 bilhões.