Um parecer do Ministério Público Eleitoral recomendou que Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeite o pedido do vice-presidente, Michel Temer, para separar sua responsabilidade em relação à presidente Dilma Rousseff nas ações que pedem a cassação dos dois.

Segundo Temer, ele não pode ser responsabilizado por atos que são imputados no processo ao PT e a Dilma.

Na avaliação do vice-procurador-geral-eleitoral, Nicolao Dino, a medida não encontra respaldo em entendimentos anteriores da Justiça Eleitoral de que um eventual abuso de poder de uma chapa teria beneficiado toda a chapa.

Dilma e Temer são alvos de quatro ações que os acusam de ter sido eleitos em 2014 com abuso de poder político e econômico, além de que as campanhas foram abastecidas com recursos desviados da Petrobras.