Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) suspeitam que Jair Bolsonaro sabia que o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) divulgaria conversa que teve com ele no sábado (10). Segundo a coluna de Mônica Bergamo, na Folha, a desconfiança foi reforçada depois que se constatou que, em 6 minutos e 20 segundos de um bate-papo supostamente reservado, o presidente da República não falou palavrões. Bolsonaro é conhecido por usar com naturalidade palavras de baixo calão.

Os primeiros trechos da conversa foram divulgados no domingo (11), mas a íntegra do diálogo só foi revelada por Kajuru um dia depois. Então, Bolsonaro apareceu chamando o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) de “bosta”.

No entanto, um palavrão apenas foi considerado insuficiente para afastar as suspeitas de que o presidente se controlou porque sabia que a conversa poderia vir a público.