Os policiais rodoviários federais da Bahia reafirmaram, na tarde de quarta-feira (23), o estado de greve já aprovado no mês de junho deste ano.

Após reunião, ficou definido que os agentes PRFfs só irão atender os casos de urgência, colisões, situações em que ocorram risco de morte. Ainda assim, não serão realizados serviços de fiscalização, como operação de radares nas rodovias, abordagens a veículos e aplicação de testes de bafômetro.

Para o diretor jurídico do Sindicato dos Policiais Federais da Bahia (Sinprf-BA), Fábio Serravalle Franco, o governo federal tem tratado a categoria com descaso.

“A categoria sempre está disposta a conversar com o governo, porém não temos tido a resposta positiva por parte de Brasília. A proposta do governo não atende a categoria que não tem aumento desde 2006, por isso que estamos usando as ferramentas que temos para sensibilizar os governantes em prol a demanda dos PRFs”, afirmou.