Após assumir a gestão do Twitter, Elon Musk deu início a um processo de desligamento em massa de funcionários nesta sexta (4). As demissões afetaram também, segundo apuração do jornal Estadão, os funcionários da companhia no Brasil. Ainda não é possível, no entanto, determinar o número exato de demitidos.

“Começaremos o difícil processo de redução de nossa força de trabalho global na sexta-feira”, avisou o Twitter a seus funcionários por um e-mail. A mensagem informava que todos os funcionários devem ser notificados na manhã de sexta-feira.

De acordo com o Washington Post, a empresa está demitindo 50% de seus cerca de 7.500 empregados. No Brasil, o Twitter mantinha um quadro com cerca de 150 pessoas.

“Reconhecemos que um certo número de pessoas que fizeram contribuições significativas para o Twitter serão afetados, mas essa ação infelizmente é necessária para garantir o sucesso da empresa no futuro”, informou a companhia a seus funcionários.

Segundo o Estadão, entre os funcionários da empresa no Brasil, o clima é de tensão. No final desta manhã, alguns funcionários no país já utilizaram as redes sociais para se despedir da empresa. Outros receberam uma mensagem no e-mail pessoal informando que o cargo pode “estar ou não ameaçado”. Enquanto esperam para saber se serão demitidos, os funcionários tiveram seus acessos de trabalho bloqueados.