Duas mulheres disseram ao jornal norte-americano The New York Times que o candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, as tocou de forma inapropriada – apalpando uma delas e beijando a outra – durante encontros separados há muitos anos, de acordo com uma reportagem do jornal.

Trump negou as acusações e o porta-voz de sua campanha, Jason Miller, disse que “todo o artigo é uma ficção” e acusou o jornal de lançar um assassinato de caráter completamente falso e coordenado”.

Um outro jornal, o The Palm Beach Post da Flórida, reportou hoje que uma mulher afirmou ter sido apalpada por Trump há 13 anos. A campanha do magnata nova-iorquino disse que as acusações “não têm mérito nem veracidade”.

Gravação – As alegações vêm menos de uma semana após a publicação de uma gravação de 2005, na qual o nomeado republicano se vangloria por apalpar mulheres. Trump pediu desculpas por seus comentários, mas também os minimizou, classificando-os como uma distração de campanha.

Ambas as mulheres que falaram ao NYT disseram que estavam revelando suas histórias por causa da gravação e pela resposta de Trump a questões sobre o caso no debate presidencial de domingo. Ele disse que depois daquele episódio, nunca mais fez as coisas de que se gabava.